Quando vai nascer?

Indíce do artigo
Quando vai nascer?
Página 2
Todas as páginas

ImageAlguns pais entendem a data provável do parto como um momento «limite» a partir do qual a gravidez não pode prosseguir, quando afinal ela é meramente uma referência que permite, de forma aproximada, identificar o momento em que ocorrerá o parto. Por isso, é importante que compreenda como é determinada esta data, qual o seu significado e o que deve esperar em termos de vigilância e atitudes clínicas quando a sua gravidez ultrapassa essa data.

As nossas avós e as suas mães, numa época em que não era comum a vigilância médica da gravidez, utilizavam o ciclo lunar para predizer o momento aproximado do parto. Efectivamente, o ritmo de luz nocturna determinada pela variação lunar regula os ritmos biológicos da mulher, particularmente as variações hormonais subjacentes ao seu ciclo menstrual. É por esse motivo que ainda hoje se considera que o ciclo menstrual da mulher tem a duração média de 28 dias - mês lunar.

A comunidade científica considera actualmente que a duração média da gravidez é de 280 dias, ou 40 semanas, a contar do primeiro dia da última menstruação. Isto corresponde a aproximadamente nove meses no calendário regular ou a dez meses lunares - pelo que a «contagem das luas» das nossas avós estava bem próxima da verdade! Subjacente a este cálculo estão as premissas de que a mulher tem ciclos menstruais regulares de 28 dias, e que terá ovulado e, portanto, concebido ao 14º dia do seu ciclo. É aqui que começam as variações, já que a duração do ciclo menstrual normal pode ser bem diferente.

Se uma mulher tem ciclos de 35 dias, a sua ovulação ocorrerá provavelmente ao 21º dia do ciclo e essa diferença de sete dias (ou seja, uma semana) terá de ser acrescentada aos 280 dias de duração provável da gestação, já que a concepção, no seu caso, foi mais tardia! Talvez pareça confuso, mas pretende-se apenas que seja compreensível para si que a determinação da data provável do parto pode não ser fácil e que apenas cerca de 5% dos partos ocorrem na data esperada, considerando-se normal que ocorram até três semanas antes ou duas semanas depois da mesma, isto é, entre a 37ª e a 42ª semana de gravidez (período considerado como «gravidez de termo»).

Como se calcula a data provável do parto?
A sua colaboração vai ser importante, particularmente o seu registo das datas correspondentes ao primeiro dia das últimas menstruações. Assim, o cálculo é feito da seguinte forma:

Mediante a data do primeiro dia da sua última menstruação são-lhe adicionados os tais 280 dias ou 40 semanas, encontrando-se a data provável do parto. Existe uma regra simples para este cálculo, que consiste em acrescer à data da menstruação 7 dias e diminuir depois 3 meses. Parece complicado? Imagine que menstruou pela última vez dia 1 de Março de 2004 (1/03/2004); a sua data provável do parto será dia 8 (acresce 7 dias a dia 1) de Dezembro (Março, mês 3, menos 3 meses) de 2004. A data da última menstruação permite definir qual o seu tempo de amenorreia ou idade gestacional (tempo de duração da sua falta menstrual), que lhe será referida em semanas.

Seguidamente, é importante perceber se os seus ciclos são regulares e qual a sua duração habitual. Isso vai condicionar a «exactidão» da data prevista. Se tiver ciclos longos, a sua ovulação será mais tardia e, como tal, a concepção terá ocorrido mais tarde e, embora pelas regras estabelecidas se mantenha a mesma data, o seu médico vai explicar-lhe que é possível que ela seja efectivamente mais tardia. O inverso ocorre se os seus ciclos são inferiores a 28 dias. Se são irregulares, o médico poderá ter de se socorrer de outros métodos para tentar encontrar de forma mais aproximada a data provável do parto, já que o momento da sua ovulação pode ser muito variável. Este é também o caso quando engravida no mês seguinte à suspensão da toma do seu contraceptivo oral («pílula») ou durante o período da amamentação.

Mediante a realização de uma ecografia na fase inicial da gravidez é possível aferir o cálculo da data provável do parto com um erro inferior a 3-4 dias. Para tal é necessário que a efectue até cerca das 16 semanas de gravidez ou, pelo menos, na primeira metade da gestação, já que, quanto mais tardia, maior poderá ser aquele erro. Assim, a medicina moderna encontrou uma forma de contornar as dificuldades encontradas nos casos referidos de dificuldade de estabelecer o momento da ovulação. Caso a ecografia revele um tempo efectivo de gestação diferente do tempo de amenorreia, haverá lugar a uma correcção da sua verdadeira idade gestacional, desde que essa diferença seja significativa. Imagine que no dia da ecografia teria 12 semanas em tempo de amenorreia, mas a avaliação do feto indica que a sua gestação tem sim 11 semanas; neste caso vai haver uma correcção da sua idade gestacional (menos uma semana) e da data provável do parto, que passará a ser afinal uma semana mais tarde!


Comentar

Código de segurança
Actualizar

Editorial.

editorial-289

alt

Coisas de nomes

O nome marca-nos. Afinal, mais que a cor dos olhos ou do cabelo, do feitio do rosto, da altura ou...

Consultório

"O meu filho, que fez recentemente quatro anos, vive intensamente esta altura do ano. Ainda acredita no Pai Natal e acha que é ele quem lhe traz as prendas. Ainda...

Leia Mais

Filho na Capa 2013

SimpleViewer requires JavaScript and the Flash Player. Get Flash