Vitamina D: a importância na gravidez

alt


O verão é a altura do ano por excelência para aproveitar o Sol e aumentar a presença de vitamina D no organismo. E se isto é válido para toda a gente – desde que seja feito com bom senso e moderação – é ainda mais positivo para as grávidas. Uma pesquisa recente realizada no Reino Unido mostra que as mulheres que apresentam bons níveis deste nutriente vitamínico durante a gestação, à volta de 150 unidades nanomolares (medida usada para medir parâmetros nutricionais) por litro de sangue, podem ajudar a melhorar as capacidades motoras dos filhos.


Em contrapartida, as grávidas com baixa concentração de vitamina D no sangue – à volta de 50 unidades nanomolares por litro – arriscam a que as suas crianças apresentam dificuldades em adquirir várias capacidades motoras nas alturas devidas, acreditam os investigadores das universidade de Surrey e Bristol. Os cientistas acreditam que as interações entre a vitamina D e a hormona dopamina no cérebro do feto desempenham um papel fundamental no desenvolvimento das áreas neurológicas ligadas não só à motricidade como também ao desenvolvimento social. Quando essa ligação falha ou é deficiente, as consequências podem ser visíveis durante a infância.


Para chegarem a esta conclusão a equipa multi-universitária, liderada pela catedrática Andrea Darling, analisou mais de sete mil gestações, centrando-se nos níveis de vitamina D na corrente sanguínea das grávidas. Depois dos nascimentos, analisaram os desenvolvimentos motores e cognitivos dos bebés aos seis e 24 meses, realizaram questionários comportamentais aos sete anos, um teste de Quociente de Inteligência aos oito anos e um teste de literacia aos nove anos.


E se nenhuma relação foi estabelecida entre a inteligência e a literacia com os níveis de vitamina D, o mesmo não aconteceu em relação ao desenvolvimento da motricidade, de acordo com um artigo publicado no “British Journal of Nutrition”. Para Andrea Darling, “a importância da vitamina D na gravidez deve ser realçada, não só devido às já conhecidas vantagens no desenvolvimento do sistema esquelético, como também no que pode potenciar a aquisição de boas capacidades motoras na infância”. Para além da exposição ao Sol, este nutriente é encontrado em alguns alimentos, como peixes azuis, carnes vermelhas, ovos e cereais.


Leia também:

Cinco alimentos para induzir o parto

Paracetamol em excesso prejudica fetos

Novo teste para determinar saúde da placenta


Comentar

Código de segurança
Actualizar

Editorial.

editorial-318

alt

Uma dor irreparável

Nota prévia

Dias depois de escrever este editorial ("Os bons e os maus"), feito no rescaldo...

Consultório

 "O meu filho, que fez recentemente quatro anos, vive intensamente esta altura do ano. Ainda acredita no Pai Natal e acha que é ele quem lhe traz as prendas. Ainda...

Leia Mais