Tamanho do cérebro e autismo relacionados

alt

 Um estudo publicado esta semana na edição online da revista Naturerelaciona o aumento do cérebro nas crianças com as Perturbações do Espectro do Autismo (PEA). As medidas da circunferência da cabeça e o volume longitudinal do cérebro das crianças que recebem o diagnóstico de autismo aos dois anos de idade são, já no primeiro ano de vida, maiores do que as de crianças que não desenvolvem o distúrbio, sugere estudo da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos.

O estudo avaliou imagens de ressonância magnética de 106 crianças com elevado risco familiar de PEA – ou seja, que tinham já um irmão com autismo - e 42 de baixo risco e identificou uma híper-expansão da superfície cortical entre os seis e os 12 meses de idade que precede um aumento do volume do cérebro observado entre os 12 e os 24 meses em 12 crianças de elevado risco que foram diagnosticadas com autismo aos 24 meses.

O estudo dá conta também que estas mudanças no volume cerebral estão associadas a um défice na interacção social que começa logo no segundo ano de vida. Os autores usaram um algoritmo que consegue prever quais os bebés no grupo de alto risco serão diagnosticados com autismo aos 2 anos. Para que o método possa ser usado por médicos no dia-a-dia, os cientistas sugerem que sejam feitas mais pesquisas com maior número de crianças.


Leia também:

Descoberto gene que causa depressão

Cuidado com os super-heróis

Saúde mental juvenil é prioridade

Comentar

Código de segurança
Actualizar

Editorial.

Para que serve um sonho?

Os sonhos fazem mal às crianças. Quando as crianças sonham acordadas, parecem ficar na lua... pelo psicólogo Eduardo Sá.


Consultório

 "O meu filho, que fez recentemente quatro anos, vive intensamente esta altura do ano. Ainda acredita no Pai Natal e acha que é ele quem lhe traz as prendas. Ainda...

Leia Mais